Prudência no ânimo, silêncio na língua e vergonha na cara.

POSTADO EM 09 de Junho de 2018

Por Pe. José Antonio Boareto

    "Prudência no ânimo, silêncio na língua e vergonha na cara." Essa frase é atribuída a Sócrates que é considerado o pai da filosofia grega e ou mesmo ocidental. A filosofia como amor à sabedoria deve ser compreendida como uma busca permanente por querer conhecer além daquilo que se pode conceber no senso comum.

Image title

            Sair da opinião comum e chegar à ciência é o processo que realiza a filosofia ao fazer com que a pessoa deixe de contemplar as sombras e possa vir à luz como no mito da caverna conforme ensina Platão.

            A filosofia pretende oferecer a pessoa mais que uma reflexão um saber-sabor. A sabedoria é apreendida do conhecimento e da experiência de vida. O filósofo ou filósofa é amigo/amiga da sabedoria.

            A filosofia também se apresenta como uma filosofia de valores. A Ética é compreendida como princípios universais válidos para todos e todas e a Moral conjunto de hábitos e costumes particular de um determinado grupo ou cultura.

            Podemos dizer que o princípio ético por excelência é o amor ao próximo, seguido do cuidado, a solidariedade e o perdão. Esses valores são universais e devem estar presentes em nossas atitudes.

            Também encontramos os mesmos princípios no Cristianismo. Amar ao próximo como a ti mesmo pode ser compreendido como o maior valor cristão, uma vez que este amor só pode ser entendido como decorrente do Amor a Deus e ou mesmo do amor que provém Dele.

            A razão é capaz de escolher. Dentre as opções a pessoa é chamada a agir na verdade e no amor. O caráter de uma pessoa demonstra-se na capacidade que ela tem em ser verdadeira e agir em vista do bem.

            Teologicamente verdade e amor são os caminhos do Senhor. Verdade e amor são os valores que pautam o caráter cristão. A verdade cristã é a revelação do amor de Deus pela humanidade e toda criação através da Ressurreição de Jesus Cristo, prova maior do amor.

            Quem procura agir na verdade e no amor vive na luz e assim distancia-se das trevas. Amar ao próximo como a ti mesmo é buscar nas relações uma moralização feita de cuidado, solidariedade e atitude de perdão.

            O ensinamento socrático pode ser aplicado como moral. A prudência no ânimo, o silêncio na língua e a vergonha na cara são as três coisas que as pessoas mais precisam.

            Prudência no ânimo. Ser prudente. A pessoa prudente não age com impulsividade.  Ela saber controlar seu ânimo. O exercitar a prudência diante das situações do dia-a-dia favorece uma serenidade que se demonstra como paz de espírito.

            Silêncio na língua. Modéstia ou continência. A pessoa modesta ela é capaz de fazer silêncio interior. Só consegue silenciar quem é capaz de ouvir a sua cacofonia interna. As inquietações internas muitas vezes fruto da insegurança quanto ao quem sou e a necessidade de auto-referência levam a maledicência.

            Vergonha na cara. Humildade. Só a vergonha é capaz de nos colocar no caminho da verdade. O reconhecimento do erro com humildade possibilidade enxergar a verdade e a partir dela caminhar.

            Na perspectiva cristã, a prudência é atitude de sabedoria, de quem age como aquele que calcula o que é necessário para construir uma torre e ou é astuto como serpente embora simples como pomba.

            A simplicidade se mostra na modéstia. Ouvir a voz do Senhor só é possível parando e silenciando. A oração ensina o silêncio na língua. A gratidão faz com que a boca fale do que o coração está cheio.

            Somente colocando-se diante do Senhor com vergonha somos capazes de reconhecer o quanto erramos e experimentar sua misericórdia. Ao baixar nossos olhos com humildade diante do Senhor saboreamos seu amor que nos perdoa.

            Precisamos urgentemente recuperar o bom sentido do caráter que se perde onde a mentira e o ódio prevalecem ao invés da verdade e do amor. Poderíamos ainda parafraseando Santo Agostinho dizer que as três atitudes fundamentais que devemos aprender são humildade, humildade e humildade. Humildade é prudência, humildade é silêncio na língua e humildade é vergonha na cara.

Pe. José Antonio Boareto

© Copyright 2018. Desenvolvido por Cúria Online do Brasil