Jesus é o sol vivo na alma

POSTADO EM 01 de Maio de 2019

Image title



Jesus é o sol vivo na alma



Como compreender o mistério da Ressurreição? Como entender que Ele está vivo? A resposta está nos próprios Evangelhos. Podemos observar atitudes diferentes na relação com o Ressuscitado na discípula e nos discípulos.

Madalena teria encontrado Jesus no jardim confundindo-o com o jardineiro, mas não tem mais nenhuma dúvida a partir do momento do encontro. Pedro olha o túmulo vazio e pensa no seu íntimo que haviam roubado o corpo de Jesus. João entra no túmulo vazio vê e acredita. E por fim Tomé que se não tocar nas marcas dos pregos e onde está o sinal de que foi perfurado pela lança não acredita.

Cada um de nós pode também ter atitude semelhante a algum deles. Podemos acreditar sem duvidar ou não acreditar num primeiro momento e ou ainda viver até hoje em dúvida embora participe da religião.

A Igreja nos ensina baseada nos ensinamentos dos atos dos apóstolos que Jesus subiu aos céus, está sentado a direita do Pai e nos enviou o Espírito Santo que é o nosso consolador e verdadeiro defensor. Aprendemos ainda que através do Sacramento do Batismo tornamo-nos templo do Espírito.

Ser habitado pelo Espírito Santo é saber que a Santíssima Trindade mora em nosso coração. O Espírito Santo do Ressuscitado é o doce hóspede da alma. A fé é crer que Jesus vem ao nosso encontro e nos faz experimentar a doçura do seu amor que é salvífico e portanto Redentor.

Entretanto essa experiência de encontro que leva a uma deliciosa e prazerosa amizade (para dizer com Santa Teresa de Ávila) pede a decisão firme de entrar no Castelo (ou Moradas). O Castelo interior ou Moradas é a casa dentro de nós e somos chamados a cultivar a amizade com Jesus que vive em nós.

Quanto mais predispomos nossas moradas para que nela entre luz mais deixamo-nos envolver pela luz. É essa compreensão fundamental de Santa Teresa de Ávila que Jesus é o sol que vive na alma. Assim compreende-se que quanto mais abrir portas e janelas dentro desta nossa casa, morada e ou castelo para entrar a luz que é Jesus mais iluminado por Ele seremos.

A atitude primeira da fé é confiança. Confiar que Deus está conosco a todo momento. Não nos abandona a nenhum momento. Quanto mais crescemos na confiança mais crescemos no amor de Deus ou na experiência de se sentir amado e amar.

Há uma canção do Zé Vicente que muitas vezes cantávamos nos encontros de pastoral da juventude que diz: “Abre a janela meu bem, vem ver o dia que vem, deixa o sol entrar e o vento falar: Eu te quero bem!” É bem isto o que Santa Teresa de Jesus está ensinando. Deixar o sol entrar, deixar ser iluminado por Jesus que vive em nossa alma. Saborear internamente o carinho de Deus que te diz: Eu te quero bem!

A decisão de começar um itinerário para Deus é a oração. E orar nada mais é do que cultivar amizade com Jesus. Escuta-se a sua voz na percepção que vamos temos dos frutos e das obras que vamos realizando, isto é, na perspectiva do amor que realizamos.

Uma vida que é irradiada pelo esplendor da luz do Ressuscitado é semelhante uma casa que tem todas as portas e janelas abertas: uma casa assim é cheia de luz. Esse é o caminho a perfazer: ir abrindo portas e janelas para que a luz entre. Quanto mais se experimenta a luz no centro de nós mais refletimos essa luz para os outros, por isso, a conversão é um crescente de amizade, neste processo, vamos acertando e errando, pois a amizade com Jesus é um itinerário de amor.

Quanto mais vamos amadurecendo a relação de amizade isso significa que estamos abrindo portas e janelas de alguns cômodos da casa que antes não queríamos abrir ou preferíamos que ficasse fechado e ou ainda não queríamos que ali entrasse luz, pois acostumamos com a escuridão naquele lugar. A luz que é Jesus resplandece dissipando as trevas.

Neste caminho descobrimos que no mais profundo do meu Castelo Interior, Moradas e ainda minha casa (se assim quiser usar uma expressão mais compreensível) que é minha alma vive o sol que é Jesus. Deus se comunica com a pessoa e a transforma, pois ao deixar ser tocada pelo amor de Deus também entra num caminho de amor.

Santa Teresa de Jesus ensina que é sempre importante pedir luz para o momento que estamos vivendo para que assim continuemos o processo de amar e dialogar com Jesus que nos transcende e dá sentido ao nosso viver. Diz ela que escutou claramente Jesus lhe dizer: “Não tenhas medo, filha, Sou Eu e não te desampararei, não temas”. Assim, ela se sente segura, amparada ao começar uma nova caminhada, acredita estar no caminho certo. Os sinais são evidentes: quietude, paz, certeza, segurança e alegria interior.

Convida Santa Teresa de Ávila a colocar os olhos somente N’Ele. A relação com Ele é uma aventura de amor. A linguagem é única, a do Amor. Que nos ajude Santa Teresa de Jesus a nos acompanhar em nosso encontro com o Senhor dentro do nosso Castelo Interior e aí encontrar nossa felicidade.

Encontramos muitas pessoas que dão sinais evidentes de terem feito esse itinerário de amor. São orantes, comprometidos com a causa de Jesus Cristo, especialmente com os mais necessitados e sofridos da sociedade; não se cansam de trabalhar pelo Reino de Deus procurando transformar radicalmente pelo amor as relações humanas e renovar a sociedade. Descobriram a Deus como amigo no mais profundo do seu Castelo Interior e sentem impulsionados à ação, a missão de serem testemunhas do seu Amor.

Que Santa Teresa de Jesus nos ajude a descobrir o quanto Deus é apaixonado por nós e assim crescermos nós também nessa paixão por Ele que se demonstra como paixão pelo mundo sobretudo pelos mais pobres. Deixemo-nos tocar pelo seu Amor e amar. Abramos portas e janelas das nossas moradas e deixemos que a luz do sol que vive na alma que é Jesus nos ilumine. Que nos seja concedida a graça de viver aqui já ressuscitados com o Ressuscitado, isto é, homens novos e mulheres novas para uma sociedade nova alicerçada na força do amor de Deus que tudo transforma e renova.

Pe. José Antonio Boareto

© Copyright 2019. Desenvolvido por Cúria Online do Brasil